tecnologia à favor da arquitetura
May 19, 2021

Burocracia em ruína: a tecnologia à favor das reformas de casas

A indústria de reforma e construção tem crescido aos trancos e barrancos nos últimos anos. Devido à popularização dos programas de decoração, cada vez mais pessoas desejam reformar suas casas. Com isso, a demanda por serviços de construção é alta, os prazos são apertados e profissionais qualificados são difíceis de encontrar. 

Apesar do setor de construção civil ser o maior do mundo e, no Brasil, ser o que mais cresce, a falta de cultura tecnológica é significante. Trata-se de uma indústria ainda muito burocrática e com processos engessados. A etapa de planejamento de projeto, por exemplo, permanece descoordenada entre tarefas administrativas dentro do escritório e visitas de campo que, na maioria das vezes, são feitas em papel. Os contratos de serviços prestados não incluem incentivos para compartilhamento de risco e inovação; a gestão de desempenho é inadequada, e a gestão de suprimentos pouco sofisticada.

Pensando nisso, este artigo irá abordar mais a fundo sobre o porquê dos processos tradicionais, dentro desse setor, estarem com os dias contados, e como utilizar as novas tecnologias a seu favor para evitar que a sua empresa se torne ultrapassada.

Aproveite a leitura!

Por que o setor de construção está estagnado na era analógica?

O fato é que a indústria ainda não abraçou as novas tecnologias digitais, e existe pouco investimento. Sendo o setor de construção, um dos mais importantes campos econômicos no Brasil, é muito perigoso as empresas não se reinventarem hoje.  

A Autodesk lançou, em junho de 2020, um estudo global “Transformação Digital: O Futuro da Construção Conectada”, da consultoria IDC. De acordo com a pesquisa, que ouviu 835 profissionais de grandes construtoras em 12 países da Europa, Américas e Ásia, incluindo o Brasil, 72% das companhias acreditam que a transformação digital é uma prioridade.

O aumento da procura por construções ambientalmente sustentáveis também é um indício de que as práticas tradicionais devem mudar. A redução de mão-de-obra qualificada só irá piorar e todos os que se encontram dentro desse processo, desde o cliente, arquiteto, até o auxiliar de pedreiro, sofrem com a pressão de fazer mais, gastando menos e entregando mais rápido. São problemas importantes que requerem novas formas de pensar e agir.

No entanto, sob uma perspectiva otimista, esses são ótimos problemas. Pois, são evidências da vasta gama de oportunidades que existem para construtoras, empresas de tecnologia, arquitetos e designers que enxergam que atrás desses grandes problemas existem grandes soluções.

Mesmo que a passos de tartaruga, mais e mais, será possível ver a mudança na mentalidade do setor, a medida em que se for percebido os benefícios que a implementação da tecnologia pode causar em sua operação. Nesse caso, a crise do Covid-19, de certa forma, “forçou” a aceleração desse processo que já vem acontecendo. Uma pesquisa realizada pela McKinsey & Company aponta que o setor será radicalmente diferente dentro de cinco a dez anos.

Como a tecnologia pode auxiliar no processo de reformas? 

Foram consideradas as principais mudanças e tecnologias que serão responsáveis por transformar a indústria de reforma e construção e torná-la mais eficiente nos próximos anos:

1. Softwares de gestão para aumentar a produtividade

Tecnologias que impulsionam a produtividade e agilizam a coordenação entre os fabricantes, distribuidores, construtores, arquitetos e empreiteiros são a chave para se destacar perante a concorrência, e as grandes empresas da indústria já têm percebido isso.

Em 2018, a Autodesk anunciou a aquisição da PlanGrid - um aplicativo conhecido por ter ajudado a levar plantas de construção do papel para o iPad.

Essa iniciativa se encaixa na visão da Autodesk de caminhar em direção a integração de tecnologias digitais que tornarão mais fáceis e eficientes a execução de projetos.

Nas palavras do CEO Andrew Anagnost: 

“Há uma enorme oportunidade para simplificar todos os aspectos da construção por meio de digitalização e automação. A aquisição da PlanGrid acelerará nossos esforços para melhorar os fluxos de trabalho de construção para todos os interessados ​​no processo”.

E não se trata de uma tendência passageira. A Vobi, por exemplo, tem desenvolvido uma plataforma com o objetivo de simplificar a vida dos profissionais da área. Através da ferramenta, arquitetos, designers e seus clientes conseguem colaborar, planejar, criar orçamentos, realizar compras e fazer pagamentos a fornecedores de produtos ou serviços envolvidos em um projeto, em um único local, tudo de forma digital.

2. Técnicas de pré-fabricação e construção modular

pré-fabricação e construção modular

Tomemos como exemplo as fábricas de automóveis. Elas investem anos no desenvolvimento do design de um novo modelo, no entanto, após esse processo, centenas de milhares de carros, desse mesmo modelo, são vendidos. Em outras palavras, eles aproveitam as “eficiências de escala”, visto que o custo do adiantamento do desenvolvimento do design acaba sendo prevalecido pela grande escala de produtos vendidos posteriormente.

Dentro do âmbito da arquitetura e construção, investe-se muito tempo e dinheiro na elaboração de um projeto de uma casa, e no final das contas apenas uma casa é vendida.

Por que, então, não se inspirar no processo das indústrias automobilísticas e aplicar esse mesmo conceito criando casas pré-fabricadas e moduláveis que aumentem a eficiência e produção em escala?

O obstáculo se encontra no fato de que as empresas precisariam de ferramentas e maquinários específicos, profissionais qualificados, softwares e uma complexa logística e distribuição para obter sucesso. Qualquer um que queira competir nesse meio terá que possuir capital e investidores de peso.

E, aparentemente, é o que vem acontecendo. Segundo a CNBC, o Alexa Fund da Amazon investiu na start-up Plant PreFab como seu primeiro passo em direção à construção pré-fabricada, dando sequência ao plano de usar a automação para construir residências mais rapidamente e a custos mais baixos.

"Queremos tornar o processo de construção de uma casa muito mais fácil, rápido e barato nas grandes cidades", disse Steve Glenn, CEO da Plant Prefab.

3. Visualização de projeto em 3D e realidade virtual

Visualização de projeto em 3D e realidade virtual

Quando um cliente busca fazer uma reforma ou construção, tradicionalmente, ele acaba tendo que pesquisar em diversos sites, visitar lojas, pedir a opinião de amigos, família e profissionais antes de decidir como deseja que sua casa fique. 

Hoje em dia, existem diversas fontes de inspiração disponíveis a quem quer que seja. No entanto, de acordo com dados de uma pesquisa realizada pela RenoWorks, ainda há pouca confiança dos usuários nessas fontes.

Essa falta de confiança resulta no que podemos chamar de “paralisia do design”, onde clientes são bombardeados com tantas informações advindas de tantas fontes que os impedem de tomar uma decisão definitiva. E para piorar, muitos acabam se arrependendo das escolhas feitas, fazendo com que haja uma frequência nas alterações do projeto. 

Isso tudo, porque, muito provavelmente, as ferramentas de visualização do projeto, ou foram inexistentes, ou não condiziam com a realidade, criando um desalinhamento de expectativas. Toda essa incerteza leva a ineficiência e atrasos no projeto que acabam repercutindo nos prazos da obra, como em um efeito dominó.

Tendo isso em vista, a visualização de um projeto em 3D é essencial para minimizar as indecisões e inseguranças do cliente, justamente por poder mostrar, de forma realista, exatamente como o projeto irá ficar quando finalizado. E dentro desse quesito, existem diversos softwares que já oferecem ferramentas para modelagem de maquete e renderização de imagens hiper realistas, como por exemplo, o SketchUP e Vray, que são os mais utilizados no Brasil.

Mas o que vem mudando, é o surgimento da realidade virtual aplicada a esses softwares 3D. Hoje é possível renderizar imagens em 360º, fazendo com que o cliente se sinta dentro do espaço e possa ter uma noção ainda mais realista do projeto.

Ler mais sobre “Dicas para apresentação de projeto remota e eficiente”.

4. Personalização do design

Avanços tecnológicos - desde aplicativos que ajudam a escolher uma cor, até ferramentas como impressoras 3D - estão simplificando mais do que nunca a personalização de uma casa.

Durante essa última década, com o aumento do uso de smartphones, as pessoas criaram expectativas de que aplicativos podem tornar suas vidas mais fáceis. Essa expectativa impacta na maneira como as empresas desenvolvem suas ferramentas.

O aplicativo ColorSnap, por exemplo, cria paletas de cores baseadas em uma imagem. Basta uma foto para que o app instantaneamente analise e mostre as cores correspondentes.

Outro ponto é a ascensão das impressoras 3D que tem conferido às pessoas a habilidade de customizar produtos. No mercado de decoração, elas têm feito sucesso por ser uma alternativa para atender ainda melhor o cliente, dando a ele exatamente o que deseja.

Essa tecnologia está se aproximando cada vez mais dos consumidores e acredita-se que em breve, grande parte das pessoas irá desejar ter uma máquina dessas em casa, assim como ter um computador ou um celular.

5. IoT (Internet das coisas)

A próxima fronteira não é apenas a de desenvolver novas ferramentas tecnológicas para reformas e construções, mas também adaptar as construções existentes ao surgimento de novas tecnologias.

De acordo com dados de uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Automação Residencial e Predial (AURESIDE) em 2018, dispositivos IoT (Internet of Things ou Internet das Coisas) estarão presentes em 53,9% das residências nos EUA até 2023. O mesmo estudo revelou que, até 2015, o Brasil ocupava a sexta posição em mercado de automação e desde então revelou uma grande tendência a subir de posição.

A IoT consiste na utilização da tecnologia para conectar itens comuns do cotidiano e, dessa forma, facilitar o acesso a eles. Ela possibilita a conexão entre eletrodomésticos, mobílias, meios de transporte e sistemas de segurança, som e iluminação. Tornando possível o surgimento de novas maneiras de lidar com a organização e o planejamento das tarefas domésticas.

A integração entre diversos dispositivos como celular, relógios inteligentes e assistentes de voz nos permite uma maior comodidade. Caminhamos para um futuro em que será difícil ter um lar sem esse tipo de tecnologia.

integração de dispositivos

Ler mais em “Automação residencial, a casa inteligente”.

Quais as vantagens para os profissionais e para os consumidores?

1. Maior rapidez na reforma

A McKinsey & Company divulgou em 2016 uma pesquisa que apontou que grandes obras, geralmente, ultrapassam 20% do tempo programado para serem concluídas.

Devido às invenções modernas, bem como tecnologia a laser e dispositivos inteligentes, as reformas das casas requerem bem menos tempo de execução se comparado a antigamente.

Em uma marcenaria, máquinas são capazes de realizar determinada tarefa em minutos, o que levaria horas ou dias para ser feita manualmente, necessitando de muito menos tempo e esforço da mão-de-obra, resultando em mais economia, segurança e rapidez de entrega.

2. Maior qualidade de materiais

A tecnologia está sempre trabalhando para produzir produtos mais leves, mais fortes e com maior durabilidade. Com o passar dos anos, surgiram novas qualidades de plásticos, fibras de carbono, fibras óticas, metais menos reagentes, produtos menos tóxicos. E com a produção em massa desses produtos, o preço tem se tornado cada vez mais adequado ao bolso do consumidor.

Atualmente, existem diversas opções de revestimentos no mercado, desde porcelanatos, pisos vinílicos, painéis em MDF, até adesivos que surpreendem pela reprodução fiel dos efeitos como os de madeira, mármore, cimento queimado, pedra e tecido. Por muito tempo, as imitações de revestimentos, não eram bem vistas no âmbito da arquitetura e interiores, pois não passavam veracidade. 

Mas com a ajuda da tecnologia, as réplicas se tornaram uma ótima alternativa para diminuir os custos de uma obra, pois possuem um valor bem mais em conta se comparado com o material original. Com elas é possível obter o mesmo resultado, sem a utilização da matéria-prima, em sua maioria advinda da natureza, o que as tornam muito mais ambientalmente sustentáveis. 

3. Ambientalmente sustentável

E por falar em ambientalmente sustentável, provavelmente o melhor avanço que a tecnologia tem conferido ao contexto das reformas de casas seja a possibilidade de atribuir práticas ecologicamente corretas.

Em virtude do surgimento de painéis solares, iluminação LED e uma série de “tecnologias verdes”, hoje, é possível reformar e construir sem causar tanto desperdício e impacto ao meio ambiente. E isso significa também economia de dinheiro!

Estudos desenvolvidos na Escola Politécnica da USP, em 2018, concluíram que as perdas de materiais chegam a 8% e as perdas financeiras, inclusive aquelas relativas a custos de retrabalhos, chegam a 30% na construção civil.

4. Mais segurança

Sistemas remotos têm sido um grande divisor de águas no campo da reforma e construção. Muitas das tarefas mais arriscadas podem ser executadas por máquinas operadas remotamente por um humano, reduzindo as chances de acidentes, danos, gastos e atrasos que poderiam ocorrer.

O futuro das moradias

A crise do Covid-19 acelerou dramaticamente a ruptura no ecossistema que já havia mostrado indícios antes mesmo da pandemia. Em tempos como esse, é preciso refletir sobre como será o “novo normal” dentro do setor, para assim tomar decisões estratégicas que o façam se destacar perante a concorrência.

Não há dúvidas de que, gradualmente, a tecnologia tem se feito presente em nossas vidas. E será de maneira cada vez mais inteligente. Atualmente, já estamos transitando de aparelhos sensíveis ao toque (touch), para aparelhos ativados por comando de voz. Dentro de dez anos, os dispositivos se tornarão mais intuitivos, e anteciparão ações e vontades dos usuários.

o futuro das moradias

Esse será o novo normal. Com acesso a calendários, e-mails e redes sociais, o seu celular já sabe muito mais sobre você do que qualquer pessoa, e logo ele será capaz de realizar previsões baseadas em seus movimentos e fazer com que sua casa se adapte a isso.

Você entrará em casa e automaticamente será criado um ambiente personalizado de acordo com o seu humor e as suas necessidades, como ajustar a temperatura, abrir as cortinas, fazer sugestões de refeições saudáveis para o jantar baseado no que tem dentro da geladeira e na quantidade de calorias ingeridas naquele dia, monitorar sua saúde e lembrá-lo de tomar o seus remédios.

Ao mesmo tempo em que a presença digital irá aumentar, ela também se tornará mais integrada. O Wi-Fi, por exemplo, já começou a ser integrado nas paredes das novas construções, fornecendo um perfeito sinal de conectividade em qualquer lugar da casa.

E o que o seu escritório de arquitetura e interiores está fazendo para se tornar mais digital e eficiente?

Vivemos em um mundo onde é possível conectar sua cafeteira à internet e fazer seu café via Bluetooth. Se até sua cafeteira já se tornou digital e seu escritório ainda não, o que isso diz sobre você?

Automatizar os processos de trabalho da sua empresa e torná-los digitais irá aumentar sua produtividade e organização. Por isso, é essencial escolher um bom software que auxilie o seu negócio a crescer e se destacar no mercado.

A Vobi tem como objetivo empoderar pequenos profissionais do setor, como arquitetos e designers, sanando problemas que afetam produtividade e faturamento, enquanto os prepara para o “novo normal”. A gente percebeu que os profissionais estavam sobrecarregados em tarefas manuais e repetitivas, utilizando papel e, no máximo, o excel como principal ferramenta de trabalho, sem tempo para focar em seu core business e crescer o negócio. 

Foi aí que enxergamos a oportunidade de ajudar esses pequenos empreendedores. Com a plataforma, o profissional consegue gerenciar e centralizar todas as etapas de um projeto de forma online e intuitiva. É possível, por exemplo, criar orçamentos de forma automatizada, acessando um catálogo com mais de 50 mil produtos, gerenciar pagamentos e dar acesso aos clientes finais para que eles possam acompanhar o andamento da obra.

Ficou interessado? Para fazer parte da nossa plataforma clique aqui e solicite um convite. 

E uma coisa é certa: não importa como você se sente quanto aos avanços da tecnologia. O fato é que ela já é uma realidade e incorporá-la ao seu negócio é inevitável. Se usada corretamente, ela irá ajudá-lo a ter mais liberdade para focar no que você mais gosta de fazer. 

 

Até a próxima,

Equipe Vobi


Referências:

www.tmcnet.com

www.renoworks.com

www.today.com

www.houzz.com

www.mckinsey.com

www.archdaily.com.br

www.lopes.com.br

Continuar lendo

Conteúdos VIP
Faça parte da lista de conteúdos VIP.
Receba semanalmente conteúdos selecionados pela a nossa equipe.
Sem spam!

Seu escritório de arquitetura e design ainda não é digital?