Automação residencial, a casa inteligente

O isolamento social, que todos tiveram que viver em 2020, devido à pandemia do novo coronavírus, fez com que as pessoas repensassem sobre seus lares e essas mudanças influenciaram as tendências de decoração para o ano de 2021

Segundo dados de uma pesquisa da ABComm, Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, houve aumento de 23,61% no número de vendas on-line de móveis e itens de decoração março e abril do ano passado. O que ressalta o fato das pessoas quererem adaptar seus lares durante a quarentena, no intuito de conferir mais personalidade, conforto e praticidade ao ambiente em que vive.

E por falar em conforto e praticidade, essas são algumas das vantagens para quem investe em uma automação residencial. Ter uma casa inteligente está cada vez mais próximo da realidade dos brasileiros.

Somente em 2020 a procura por este tipo de serviço teve um crescimento três vezes maior quando comparado ao ano anterior.

“Dados de 2018 da Associação Brasileira de Automação Residencial e Predial – AURESIDE, apontou que os dispositivos IoT (Internet of Things ou Internet das Coisas) para residências inteligentes entrarão em 53,9% das residências nos EUA até 2023. Até 2015, o Brasil ocupava a sexta posição em mercado de automação e o estudo revelou uma grande tendência a subir de posição.”

A IoT consiste na utilização da tecnologia para conectar itens comuns do cotidiano e, dessa forma, facilitar o acesso a eles. Ela possibilita a conexão entre eletrodomésticos, mobílias, meios de transporte e sistemas de segurança, som e iluminação. Tornando possível o surgimento de novas maneiras de lidar com a organização e o planejamento das tarefas domésticas.

IoT internet das coisas

Mas afinal, o que é automação residencial, quando surgiu, quais são as suas aplicações? 

Para responder a essas e outras questões, continue lendo este artigo, ao longo do texto você irá aprender sobre:

Aproveite a leitura!

O que é automação residencial?

Automação residencial é aplicar todas as tecnologias existentes dentro de casa para facilitar tarefas habituais que anteriormente dependiam exclusivamente do morador, como por exemplo irrigar as plantas, desligar as luzes, detectar fumaça, trancar a porta, entre muitos outros, que só são possíveis hoje, graças à tecnologia.

Ter uma casa inteligente é fazer com que todos os sistemas eletrônicos funcionem como um só, sob o nosso total controle e de acordo com nossos hábitos, necessidades e gostos. Imagina controlar tudo no seu lar por um tablet ou smartphone conectado à internet?

Essa é a ideia da automação residencial.

A história da automação residencial

Foi na década de 70, nos Estados Unidos, que os primeiros sistemas de automatização surgiram através das indústrias que queriam facilitar tarefas de modo que pudessem ter tudo ao seu controle. 

Passaram-se os anos e a automação residencial começou a ganhar espaço, tendo em vista que sua implementação facilitaria funções que antes dependiam unicamente dos moradores. A cada ano, desde o seu surgimento, novas soluções são lançadas no mercado sempre acompanhando as tendências de consumo.

Mas foi apenas no final da década de 90 que os primeiros projetos de automação residencial começaram a se tornar viáveis no Brasil. 

“Limitados a poucas funcionalidades e muito focados nas novidades na área de áudio e Vídeo, estes projetos começavam a incluir o controle de iluminação e de cortinas, porém ainda estavam longe de traduzir um efetivo benefício e com a agravante de ter um preço bastante elevado, devido ao fato de que ainda eram poucas as empresas especializadas e em sua maioria estrangeiras.”

Assim surgiu a Associação Brasileira de Automação Residencial e Predial (AURESIDE), em fevereiro de 2000. Neste mesmo período os Estados Unidos comandavam como o mercado mais adiantado do setor, no qual dois principais tipos de automação se destacavam:

  • Os sistemas mais simples, conhecidos como DIY (Do It Yourself ou Faça Você Mesmo), onde a própria pessoa podia adquirir comprar seu produto em lojas especializadas e fazer suas próprias instalações sem recorrer a profissionais.
  • Os sistemas mais sofisticados, ligados ao desenvolvimento da área de áudio e vídeo (ou o chamado Home Theater), principalmente pertinentes a criação de ambientação, como a iluminação e a climatização, necessitando a instalação por profissionais.

Em 2002 foi realizado a mostra chamada Salão de Inovação Tecnológica, apoiada pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, que abrigou uma “casa inteligente” com mais de 1400m2 e vários ambientes automatizados e em 2003 um “prédio inteligente” também com um projeto inovador e repleto de novidades. Mas, sem dúvida, a mudança mais significativa no mercado foi marcada pelo surgimento dos equipamentos pessoais móveis, como tablets e smartphones. 

automação residencial
“No lançamento do primeiro iPad em 2010 poucos entenderam a profundidade da mudança que iria acontecer. Inicialmente perplexa, a indústria da Automação Residencial teve que se curvar às evidências que o impacto deste lançamento resultou depois de pouco tempo. Relutantes de início, logo os fabricantes perceberam que precisavam adaptar suas soluções para os novos “mobiles” e então se iniciou uma corrida em novos desenvolvimentos de aplicativos, softwares e projetos tiveram que passar a contemplar esta nova modalidade de controle.”

Era inegável o crescente uso  dos tablets e smartphones pelos usuários em múltiplas aplicações, inclusive na vida doméstica. Portanto os sistemas de automação residencial teriam que se adaptar a esta situação ou se tornariam rapidamente obsoletos. 

Nos dias de hoje o grande obstáculo para o crescimento mais acentuado do mercado é o relativo desconhecimento que os moradores ainda demonstram sobre os benefícios possíveis oriundos da utilização de sistemas de Automação em suas residências. A presença crescente de novas empresas e profissionais e a sua capacitação se tornam elementos de grande importância para permitir que o mercado encontre finalmente o seu esperado potencial.

5 benefícios da automação residencial

1. Mais economia e sustentabilidade

Uma dúvida comum sobre automação residencial é qual o seu custo. Uma instalação simples costuma custar a partir de R$3 mil. Já um pacote que inclui luzes, ar condicionado, cortinas, sistema de som, TV e circuito interno de câmeras pode custar a partir de R$15 mil. Tudo vai depender do grau de interação do morador.

Apesar de parecer um grande investimento inicial, a longo prazo esse tipo de mecanismo garante a redução de custos de energia elétrica e água, por exemplo.

Com essa funcionalidade em mãos, é possível detectar onde estão os maiores consumos e economizar de forma racional.

automação residencial

2. Mais segurança

Talvez o mais importante dos benefícios de se ter uma casa inteligente seja a segurança. A maior parte das ferramentas de automação residencial são voltadas à segurança doméstica.

Muitos moradores passam a usar esse tipo de inovação para manter os seus lares seguros e protegidos. Mesmo longe de casa, é possível visualizar o que está acontecendo dentro e fora dela, por meio de aplicativos de câmeras integradas ao sistema de automação residencial. 

Além disso, existe a opção de realizar programações para simular presença de pessoas, mesmo na ausência, como fazer funcionar a iluminação, ligar o som, TV, tudo como se a casa estivesse ocupada. Sem falar na integração do sistema de alarme à automação para o caso de uma invasão.

Também é possível oferecer segurança às pessoas com alguma necessidade especial. Confira, neste vídeo, um exemplo de automação residencial para moradores idosos:

3. Maior praticidade

Sem dúvidas, a tecnologia chegou para facilitar o nosso cotidiano. Nesse contexto, a automação residencial é uma ótima forma de ganhar mais tempo no dia a dia, já que as tarefas rotineiras podem ser realizadas automaticamente.

Hoje, com a automação residencial, é possível acionar uma lâmpada estando longe de casa ou em qualquer lugar do mundo. Ligar o ar condicionado, a irrigação do jardim e a lareira são outros exemplos do que fazer com mais facilidade com a automação. Tudo isso ajuda as pessoas a ganharem tempo com bem-estar.

E mais, com o uso da chamada “internet das coisas” é possível programar o GPS de seu carro ou celular para que, ao se aproximar de sua casa, o ar condicionado seja ligado, a cafeteira prepare um café e a porta da garagem se abra assim que o carro se aproximar.

4. Maior controle

A automação residencial permite que os moradores tenham controle total sobre tudo o que está acontecendo nas propriedades em qualquer momento do dia. A partir dessa tecnologia, é possível saber se começou a chover na sua residência, se o seu pet está bem ou se algo diferente está ocorrendo por lá.

5. Conforto e comodidade

Além de toda segurança e praticidade oferecidos pela automação residencial, essa tecnologia também é sinônimo de conforto. Isso porque, esses dispositivos podem criar uma atmosfera confortável e te ajudar a relaxar depois de um longo dia de trabalho, seja gravando seus programas favoritos, tocando as músicas da sua playlist em toda a casa ou fornecendo iluminação, som e temperatura agradáveis e propícios para os momentos de descanso.

Os tipos de automação residencial

Com tantos benefícios, você já deve estar se perguntando o que fazer para criar uma casa inteligente. Internet das coisas (IoT), assistente de voz e sustentabilidade são algumas das inovações que estão cada dia mais presentes no dia a dia das pessoas. Veja quais são os tipos de automação residencial:

Controle de iluminação

Com a automação residencial você pode, através de um smartphone ou um tablet, apagar as luzes caso tenha esquecido alguma acesa, ou acendê-las para quando estiver chegando, mesmo à distância. 

Isso mesmo, por meio do IoT, é realizada a implementação de uma central de automação residencial,  no qual permite que você acenda ou apague as luzes através de seu próprio celular, computador, ou até mesmo da sua televisão, pelo módulo de comunicação Bluetooth.

Sistema de som

Com a automação residencial você pode distribuir músicas e vídeos para todos os cômodos da casa, além de controlar o volume em cada um dos ambientes.

Sistema de irrigação

Através de sensores de umidade do solo e temporizadores é possível criar a automação residencial no jardim, mantendo as plantas sempre nas condições ideais.

Sistema de segurança

Além de visualizar as câmeras de segurança pela internet ou por apps, também é possível configurar na automação residencial sensores de fumaça, sprinklers e sistemas de comunicação direta com a polícia e empresas de segurança privada.

Biometria

Além do sistema de segurança e diversas outras funções, é possível proteger a casa contra a entrada de pessoas não autorizadas.

Controle automatizado de cortinas e janelas

Com sensores de luz e integração ao sistema de iluminação, é possível aproveitar ao máximo a luz natural e evitar que as luzes sejam acesas em momentos desnecessários.

Controle de temperatura

Com a automação residencial é possível acionar o ar-condicionado (ou o aquecedor) antes de chegar em casa, resfriando o ar aos poucos para alcançar a temperatura ideal.

automação residencial

Assistente de voz

Uma das soluções de automação residencial mais recentes são as assistentes de voz da Google, Amazon (Alexa) e da Apple (Siri), por exemplo, com ênfase na capacidade de utilização destes produtos como interfaces de comando de cenas na residência.

Além de fornecerem respostas rápidas, os dispositivos também interagem facilmente com quem o executa, tornando o uso do produto intuitivo e simples.

Cenas inteligentes

É possível programar a automação residencial para, por exemplo, não mexer mais em nenhum ajuste do controle remoto da televisão. Apertar a tecla “cena filme” significa que o ambiente irá ajustar-se de acordo com a preferência programada na automação residencial.

Exemplo: Você chegou à sua casa e quer assistir a um filme ou sua série preferida. Ao selecionar essa função, o home theater será ligado, a persiana fechada, a luz apagada e o ambiente será climatizado com a temperatura mais agradável para o momento.

automação residencial

Como pode ser feita a automação de casa?

O projeto de automação pode ser feito de duas maneiras: a primeira delas é incorporar os aparelhos necessários na casa durante o período de construção. A outra é converter uma casa já pronta. 

“A integração entre os diversos dispositivos que temos hoje como celular, relógios inteligentes, assistentes de voz já nos permite uma maior comodidade. A automação residencial é tudo isso e um pouco mais. Ao agregar essa tecnologia em casa ainda é possível realizar a redução de consumo de energia. Caminhamos para um futuro em que será difícil ter um lar sem automação. Essa já é uma realidade dos prédios corporativos. Esse é o caminho”, finaliza Júlio Seype.

Moodboards Vobi

Gostou? Siga-nos nas nossas redes sociais e não perca nosso conteúdo semanal.

Até a próxima,

Equipe Vobi

 

Referências:

www.imoveis.estadao.com.br

www.emobile.com.br

www.luxfortdobrasil.com

www.61brasilia.com

www.quatriautomacao.com.br

www.vivadecora.com.br

www.aureside.blogspot.com

www.engenharia360.com

Conteúdos VIP

Faça parte da lista de conteúdos VIP.

Receba semanalmente conteúdos selecionados pela a nossa equipe.
Sem spam!

Seu escritório de arquitetura e design ainda não é digital?