Guias Especiais

Estilos arquitetônicos: a manifestação física da história da humanidade

Por Equipe Vobi
Estilos arquitetônicos

Os estilos arquitetônicos são tendências estéticas que influenciam nas soluções arquitetônicas. Apesar de estarem intimamente conectados à aparência, eles são muito complexos, englobando questões políticas sociais e tecnológicas, além de representarem a história da humanidade. Entenda o que são os estilos arquitetônicos, como eles acompanham a evolução da sociedade e as diferenças entre estilos e tipos de arquitetura através dos tópicos.

Aproveite a leitura!

O que são estilos arquitetônicos

Os estilos arquitetônicos são um conjunto de princípios que moldam uma edificação em um determinado padrão estético. Essas regras não são apenas um capricho para a aparência das construções, elas nascem de um contexto muito complexo, o qual envolve questões regionais, políticas, sociais, culturais e tecnológicas. Sendo assim, os estilos arquitetônicos, bem como toda a arquitetura e urbanismo, refletem o modo de pensar e de viver do ser humano em um determinado período histórico. 

Através da arquitetura e urbanismo de cada época é possível observar quais são as prioridades de um determinado povo, sua organização social e nível de desenvolvimento tecnológico. Portanto, os estilos arquitetônicos estão diretamente conectados com a história da arquitetura e sua cronologia, onde um determinado estilo geralmente é uma resposta ao seu antecessor, repensando o modelo de projetação vigente com novas perspectivas e tecnologias. 

A maior parte da arquitetura pode ser classificada como uma cronologia de estilos que muda com o tempo, refletindo modas, crenças e religiões, ou o surgimento de novas idéias, tecnologias ou materiais que tornam novos estilos possíveis.

Principais estilos arquitetônicos

Os estilos arquitetônicos são muito diversos, pois a troca de informações entre os povos possibilitou a disseminação de técnicas construtivas e preferências estéticas, as quais eram copiadas e adaptadas aos novos contextos em que eram inseridas. A propagação dos estilos também ocorreu através da colonização, onde o colonizador estabelece o seu modo como padrão de construção nas colônias, como é o caso da arquitetura brasileira

Logo, os estilos mais relevantes para o contexto brasileiro são os provenientes da Europa, porém, existem muitos outros estilos orientais, como arquitetura japonesa, chinesa, indiana, etc. A seguir, vamos ver os principais estilos arquitetônicos europeus, sua ordem cronológica, características e como eles chegaram ao Brasil. 

Clássica

Teve início na Grécia antiga no século VII a.C. Esse estilo preza pela simetria, geometria e proporções. Observa-se o uso de colunas com capitéis e frontões. O principal material utilizado é o mármore. Essa civilização ancestral é fundadora da democracia e deixou espaços como as ágoras (espaços de discussão) e arenas. Roma segue esse estilo, porém acrescenta o elemento arquitetônico do arco, bem como o uso do ancestral do cimento: uma mistura de areia vulcânica, calcário e ladrilhos quebrados. 

estilos arquitetônicos - arquitetura clássica
Partenon de Atenas | Fonte: terminal de embarque.com

Românico

É o estilo vigente durante a Idade Média, entre os séculos VI e XI. As principais características são arcos semi circulares, paredes grossas e aberturas mínimas, respondendo ao contexto das guerras entre os países europeus. O principal material de construção era a pedra e os exemplares mais notáveis dessa arquitetura são igrejas, pois aqui já se observa a influência do catolicismo nas arquiteturas. 

estilos arquitetônicos - arquitetura românica
Igreja de San Martín de Frómista | Fonte: História com gosto

Gótico

A arquitetura gótica surgiu nos anos 900 na França e revolucionou o modelo construtivo vigente. Os novos elementos arquitetônicos são essenciais para a concepção estrutural, além de configurarem a identidade estética das obras. Dentre eles, destacam-se os arcos ogivais, as abóbadas de cruzaria, arcobotantes e contrafortes. 

Esses novos elementos permitiram realizar edificações muito altas e ampliar as aberturas, as quais eram preenchidas com vitrais. Essa arquitetura é fortemente ligada ao catolicismo, de forma que seus vitrais, esculturas e muitos ornamentos possuem motivos religiosos e os principais exemplares desse estilo arquitetônico são as catedrais

estilos arquitetônicos - arquitetura gótica
Catedral de Notre Dame | Fonte: Casa Vogue

Renascentista

Surgiu na Itália durante o século XIV. Essa arquitetura negava os estilos arquitetônicos antecessores e prezava pelo resgate da arquitetura clássica Greco-Romana. Logo, esse estilo vai prezar pela simetria, proporção e funcionalidade dos espaços. Os elementos são novamente colunas e arcos, porém agora com o uso de cúpulas. Sua essência é definida pela racionalidade

A partir do renascentismo, os estilos arquitetônicos passam a ser definidos também como tendências arquitetônicas, pois a estética da arquitetura começa a ser interpretada como uma “moda” e os arquitetos são cada vez mais reconhecidos como artistas individuais. é também nesse período que surge o conceito de espaços privados e a arquitetura de interiores ganha relevância. 

estilos arquitetônicos - arquitetura Renascentista
Santa Maria del Fiore | Fonte: infoescola

Maneirismo

Surgiu durante o renascentismo como uma forma de negar as regras rígidas impostas pelo classicismo da arquitetura renascentista. Esse estilo utilizava as formas clássicas com mais liberdade e valorizava o trabalho individual do artista. Suas principais características são formas convexas, escadas e colunas duplicadas por estética e conflito de linhas verticais e horizontais. Sua essência é definida pela emoção.

estilos arquitetônicos - maneirismo
Palazzo Chiericati | Fonte: hisour.com

Barroco

Esse estilo tem início no século XVI, porém suas origens estão presentes já no maneirismo. É um movimento de contrarreforma, repudiando o racionalismo do renascimento. Suas principais características são a sinuosidade, intensa ornamentação e jogo de claro e escuro. O barroco tem seu palco novamente na arquitetura sacra e é novamente traduzido em emoção. Esse estilo influenciou bastante a arquitetura brasileira religiosa. 

estilos arquitetônicos - arquitetura barroca
Igreja São Francisco de Assis | Fonte: lugares inesquecíveis

Rococó

Com início no século XVIII, esse estilo é considerado como o barroco levado ao exagero da ornamentação. Suas características são o excesso de adornos curvilíneos e os motivos decorativos que, ao invés de temas religiosos, são conchas, laços, flores e folhagens, pois essa arquitetura mais sofisticada sai do domínio clérigo e passa a compor palácios. Sua técnica decorativa trabalhava com a incrustação de conchas e pedaços de vidro. 

estilos arquitetônicos - rococó
Novo Palácio de Potsdam | Fonte: terminal de embarque.com

Colonial

Estilo português implementado no Brasil no ano de 1500 que organizou os primeiros centros urbanos. As principais características da arquitetura são colunas, que apoiavam o telhado para formar varandas, janelas de madeira, telhas de barro com poucas águas e a simetria. É importante notar que a história da arquitetura brasileira tem início antes do estilo colonial, através da arquitetura indígena, e as construções portuguesas foram adaptadas ao novo contexto utilizando de técnicas da mão de obra tanto indígena quanto africana. Portanto, a história da arquitetura nacional é marcada por uma fusão cultural

estilos arquitetônicos - arquitetura colonial
Cidade de Ouro Preto | Fonte: artezanal.com

Neoclássico

O prefixo “neo” é referente a releitura de estilos antigos, logo, essa estética vai valorizar mais uma vez a racionalidade e simetria da arquitetura Greco-romana. Esse estilo arquitetônico do século XVIII tem como características, novamente, os frontões triangulares e colunas. Os principais materiais são nobres, principalmente pedra, granito e mármore.

estilos arquitetônicos - arquitetura neoclássica
Igreja dedicada a Sta. Genoveva | Fonte: arrivalguides.com

Ecletismo

Representa bem o momento do século XIX, onde os arquitetos não seguem uma estética definida. O ecletismo é um movimento característico da arquitetura brasileira, o qual permite a fusão de dois ou mais estilos em uma mesma edificação. Ele foi implantado pela Academia de Belas Artes após o neoclássico não se aplicar à realidade do Brasil, que não contava com os materiais nobres e mão de obra especializada da Europa. Porém, a própria Europa não estava unificada em uma linguagem arquitetônica, e começam a surgir diversos “neos”, dentre eles o neobarroco, o neorromânico e o neogótico. 

estilos arquitetônicos - arquitetura eclética
Teatro Municipal do Rio de Janeiro | Fonte: cultura.estadão

Art Nouveau

Aparece como um modelo de unificação das estéticas ecléticas européias, sendo considerado o último estilo arquitetônico do século XIX e o primeiro do século XX. Suas principais características são formas e estruturas naturais e traços curvilíneos, inspiração em flores, plantas e animais tanto nas cores quanto na concepção. Devido a revolução industrial do século XX, esse estilo já utiliza materiais como o ferro, vidro e o cimento. Esse estilo arquitetônico é considerado a transição entre o período do historicismo e do modernismo.

estilos arquitetônicos - art nouveau
Casa Batlló | Fonte: terminal de embarque.com

Art Déco

Com início em 1925 na França, foi o primeiro estilo verdadeiramente internacional, influenciando não só na arquitetura, mas também em móveis, jóias e utensílios. O art déco herdou as características do Art Nouveau e trazia ornamentação e curvas, mas com o tempo passou a receber influência do cubismo e começou a aplicar formas geométricas, combinando as duas estéticas. Esse estilo arquitetônico já utilizava do concreto armado e seus principais exemplares são arranha céus

estilos arquitetônicos - art déco
Empire State Building | Fonte: terminal de embarque.com

Modernismo

É o estilo arquitetônico que se apresenta como a resposta ao estilo de vida do homem no período industrial, já na primeira metade do século XX. Ele carrega um discurso social e estético que reflete no design de cidades, arquiteturas, automóveis, eletrodomésticos, etc. O modernismo nasceu na escola de design alemã Bauhaus e no Movimento De Stijl holandês, tendo como principais características a simplicidade e funcionalidade. O estilo apresentou duas diferentes vertentes na arquitetura brasileira,a escola carioca e a paulista, com algumas diferenças entre si. 

estilos arquitetônicos - arquitetura modernista
Vila Savoye | Fonte: Diário de notícias dn.pt

Contemporâneo

Estilo que segue até os dias atuais. Diferentemente dos estilos arquitetônicos anteriores, o estilo contemporâneo não apresenta uma estética estritamente definida, de forma que os arquitetos são livres para se expressar, criando novas estéticas e fazendo releituras do passado. Ainda assim, observa-se algumas tendências, como o futurismo - curvas sutis, amplo uso do branco, sofisticação e alta tecnologia - e o desconstrutivismo - linhas irregulares, ângulos acentuados, desconstrução da forma geométrica. 

estilos arquitetônicos - arquitetura contemporânea
Galaxy Soho | Fonte: Casacor.abril

Apesar da diversidade estética, a arquitetura contemporânea traz uniformidade em relação aos princípios, sendo os principais a sustentabilidade, o conforto e a funcionalidade. Esses princípios não configuram um estilo arquitetônico, pois não são dependentes da estética, sendo classificados como tipos de arquitetura. No tópico seguinte vamos entender melhor essa diferença.

Tipos de arquitetura x Estilos arquitetônicos

Os estilos arquitetônicos não são apenas a aparência do edifício, pois eles refletem todo o contexto humano de um determinado período. Porém, esse contexto é traduzido na estética das construções, as quais são regidas por princípios, tais como cores, elementos, proporções, linhas, dentre outros aspectos. Logo, os estilos arquitetônicos sempre vão estar relacionados a uma estética específica que está intimamente ligada à cronologia arquitetônica, de forma que, ao se observar uma obra, sabe-se em que período ela foi concebida.

Os tipos de arquitetura seguem uma lógica diferente. Eles também são baseados em princípios que vão orientar a concepção do ambiente, mas não necessariamente estão relacionados à estética. Ou seja, um mesmo tipo de arquitetura pode ter diferentes estilos arquitetônicos e, portanto, diferentes estéticas. Uma excelente forma de diferenciar tipo e estilo é se perguntar se um determinado conjunto de princípios pode ser aplicado em uma estética diferente, se sim, trata-se de um tipo de arquitetura e não um estilo

Podemos citar como exemplo de tipo de arquitetura a arquitetura vernacular, a qual compreende a concepção de construções (geralmente habitações) intimamente ligadas ao seu povo. São arquiteturas que utilizam dos recursos e materiais locais e são pensadas para o contexto em que estão inseridas. Elas carregam as tradições, saberes e costumes de um determinado grupo, configurando assim uma expressão de sua identidade cultural. Apesar de todos esses princípios, as arquiteturas vernaculares possuem estéticas muito distintas, especialmente porque são o reflexo de povos e contextos diferentes.

estilos arquitetônicos
Fonte: Archdaily

Outro exemplo é a arquitetura sustentável, a qual visa a redução de impactos ambientais e a otimização de recursos. Esse tipo de arquitetura traz os conceitos de eficiência energética, conforto, qualidade, alta tecnologia, uso inteligente de recursos e materiais adequados. O estilo contemporâneo preza pela sustentabilidade e suas soluções normalmente são arquiteturas sustentáveis, porém esse tipo de arquitetura pode ser aplicado em outras estéticas

estilos arquitetônicos - arquitetura sustentável
Fonte: projetta.arq

A própria arquitetura vernacular é uma arquitetura sustentável, pois seus materiais são naturais, seu impacto é mínimo e sua configuração conta com estratégias passivas para garantir o conforto das construções de acordo com o clima em que estão inseridas. Ela é inclusive uma grande fonte de inspiração para arquiteturas do estilo contemporâneo que fazem releituras dessas soluções para conceber novas arquiteturas sustentáveis. 

Existem muitos outros tipos de arquitetura. Podemos destacar as arquiteturas efêmeras - estruturas temporárias concebidas para eventos, experimentos ou emergências -, arquiteturas cenográficas - tratam da ambientação de festas, eventos e sets de filmagens - e arquitetura audiovisual - concepção de espaços virtuais para jogos, animações e produções cinematográficas que contam com CGI. Todos esses tipos podem ser executados em diferentes estilos arquitetônicos, dependendo da demanda.

A arquitetura de interiores é um tipo de arquitetura interessante porque ela também desenvolveu seus próprios estilos. Grande parte das vezes a arquitetura de interiores coincide com o estilo arquitetônico, como é o caso do barroco e do moderno, onde os princípios da edificação e dos interiores são bem próximos. Porém, esse tipo de arquitetura pode assumir padrões estéticos próprios, como é o caso dos industrial e urban jungle. Esses estilos de interiores, por mais que independentes, acompanham a linha de pensamento arquitetônica vigente. 

Por exemplo, o estilo industrial surgiu em 1970, em Nova York, devido à necessidade de adaptação de galpões industriais para uso residencial, originando os lofts. Nessa época o modernismo é vigente e, ainda que a arquitetura de interiores tenha definido uma nova estética, utilizando tubulações e elementos industriais como parte da composição, ela ainda respeita os princípios do minimalismo e funcionalidade do estilo arquitetônico vigente nesse período.

estilos arquitetônicos - arquitetura de interiores
Fonte: Houzz.com.uk

Mesmo que a arquitetura de interiores possua estilos que são fundamentados em princípios estéticos, assim como os estilos arquitetônicos, ela ainda é um tipo de arquitetura, pois seus princípios - a funcionalidade dos ambientes, o conforto dos usuários e a estética - são observados em todas as arquiteturas de interiores, independente do seu estilo. 

Recentemente um novo tipo de arquitetura tem ganhado relevância no contexto contemporâneo, trata-se da neuroarquitetura. Essa disciplina aplica os conceitos da neurociência na arquitetura, com o objetivo de melhorar as respostas cerebrais aos espaços projetados. Os princípios desse tipo envolvem a configuração do espaço e o estímulo dos sentidos humanos. Os elementos são estudados para influenciar a mente de maneira positiva, visando o bem estar físico e mental e a qualidade de vida dos usuários. 

Como se trata de um tipo de arquitetura recente, ela é observada no estilo contemporâneo, porém seus princípios não estão conectados a estética desse estilo em específico, de forma que, no futuro, quando surgirem outros estilos arquitetônicos, a neuroarquitetura poderá ser aplicada às novas estéticas, assim como a arquitetura sustentável, arquitetura de interiores, e todas os outros tipos. 

Os estilos arquitetônicos são a manifestação física da história da humanidade, eles imprimem os pensamento e o modo de vida de cada geração em vários tipos de arquitetura. O estilo contemporâneo que produzimos hoje é apenas mais um capítulo desse livro tridimensional. Ainda que sejam feitas releituras dos estilos anteriores, é papel do arquitetotraduzir o modo de vida atual, refletindo os questionamentos e soluções da nossa sociedade - em especial a preocupação com a sustentabilidade, bem estar físico e mental dos usuários e funcionalidade - para que fiquem gravados na história.

Gostou? Compartilhe!

Continue Lendo

Conteúdos VIP
Faça parte da lista de conteúdos VIP.
Receba semanalmente conteúdos selecionados pela a nossa equipe.
Sem spam!

Seu escritório de arquitetura e design ainda não é digital?