levantamento arquitetônico
Gestão
May 19, 2021

Levantamento arquitetônico: A medida base dos projetos

O levantamento arquitetônico é o momento em que o profissional conhece o espaço e toma nota de todas as suas características principais. Essa etapa interfere diretamente em todas as outras. Para entender o porquê disso, leia até o final!

Nesse artigo você vai aprender:

Aproveite a leitura!

O que é um levantamento arquitetônico

O levantamento arquitetônico se refere ao ato de conferir as medidas e o estado atual do ambiente, edificação ou terreno, objeto do contrato. Acontece através de uma visita técnica in loco, realizada pelo próprio arquiteto ou designer, algum colaborador da equipe ou outro profissional parceiro.

O dimensionamento, feito nesta etapa, é o que torna possível gerar todos os desenhos e plantas técnicas nas fases seguintes. Por isso, implica na medição de cada detalhe do espaço: alvenarias, aberturas, pé direito, portas, janelas, etc. 

Ocorre, necessariamente, após a assinatura do contrato, mas pode acontecer antes ou depois da reunião de briefing. Embora seja uma decisão particular da gestão de projetos, a nossa recomendação é que se comece pelo briefing e na sequência o levantamento, para que o profissional possa visualizar o espaço com um olhar mais direcionado e compatível com as solicitações do cliente. 

Para o CAU, em termos de arquitetura de interiores, o levantamento arquitetônico é:

“O levantamento de um conjunto de informações e dados, objetivando caracterizar perfeitamente o objeto, o escopo do contrato, o projeto e o conjunto de restrições” - Fonte: CAU-BR.

A importância de um levantamento arquitetônico

Dentre as inúmeras possibilidades e variações do mundo da arquitetura e design, essa é uma certeza: não há projeto de arquitetura e interiores sem conhecer o cliente e o espaço.

Em termos de processo de elaboração de projetos, o profissional colhe as informações dos usuários na reunião de briefing, mas é só no levantamento arquitetônico é que ele irá conhecer o espaço. 

Sabemos que cada projeto é único e cheio de especificidades. Fatores como localização, vegetação do entorno, incidência de luz solar, estado de conservação do imóvel e, claro, dimensões, precisam ser compreendidas caso a caso antes do profissional dar início ao estudo preliminar de arquitetura. Decerto, o levantamento do espaço cria toda a base de informações e dados, utilizada ao longo de todo o processo. 

As soluções pensadas no anteprojeto de arquitetura, por exemplo, só podem ser personalizadas se criadas sob medida. O mesmo raciocínio funciona para a obra, que para ser bem feita, precisa que o projeto executivo de arquitetura esteja condizente com a realidade. E o momento de fazer essa verificação apurada in loco é no início do trabalho: na etapa de verificação de medidas. 

Portanto, compreender o espaço com que se vai trabalhar é o ponto de partida de todo projeto, daí a sua maior relevância. Afinal, como planejar um espaço sem conhecê-lo? 

Como fazer um levantamento arquitetônico

Nesse sentido, para fazer um levantamento arquitetônico, é importante se preparar com certa antecedência e deixar em mãos os seguintes itens principais: 

✔ Prancheta (de apoio para as suas anotações);

✔ Folhas em branco ou quadriculadas (específicas para desenho);

✔ Cópias do checklist de itens a serem medidos (use o que vamos disponibilizar ao final desse artigo, se desejar);

✔ Se tiver a planta da construtora, leve-a impressa para facilitar a conferência in loco

✔ Trena convencional;

✔ Trena eletrônica;

✔ Fita métrica;

✔ Canetas multi coloridas; 

✔ Celular | Ipad | câmera digital (para fotografar e filmar).

Uma vez no local de medição, tendo o checklist e folhas novas em mãos, comece a traçar um esboço da geometria do espaço com o apoio da prancheta. 

Na ordem do seu checklist, faça a medição de cada face do espaço e certifique-se de ter esgotado todos os itens antes de partir para a outra face, até completar toda a geometria. Essa é uma dica para você não se perder diante de tanta informação. 

Em outras palavras, se for um espaço construído, desenhe a forma do ambiente no papel (em branco ou quadriculado), defina qual vai ser a sua primeira parede, (por exemplo, a da esquerda) e preencha o desenho com as medidas, até completar o checklist dessa primeira parede. 

Somente depois disso parta para a segunda parede, (que pode ser a frontal, caso queira seguir a lógica do sentido horário) e repita o processo até esgotar todas as paredes e, na sequência, cada cômodo do espaço. 

O croqui de cada cômodo precisa ser preenchido com as medidas de cada eixo até completar o checklist, pois assim, você fica seguro de não ter esquecido de nenhum ponto, afinal, todos são imprescindíveis. 

Nesse sentido, cada detalhe do estado atual do ambiente precisa ser tomado nota. Para isso, utilize todos os recursos que tiver à disposição. Não se limite ao papel, trena e caneta, mas use também câmeras para registrar o espaço na sua integridade e também nos seus mínimos detalhes, através de fotos e vídeos. 

Claro que os instrumentos tradicionais de medição são, ainda, insubstituíveis. Mas hoje, temos muitos outros que também podem ser excelentes auxiliares, como as trenas eletrônicas a laser, aplicativos de celular, entre outros. 

Outra opção interessante, é estabelecer uma cor de caneta diferente para cada item do seu checklist. Essa, inclusive, é a nossa maior recomendação. Mais adiante, quando estivermos analisando questões mais práticas do levantamento arquitetônico, ficará mais claro a nossa dica.  

De todo modo, concluída a visita técnica e de volta ao escritório, o momento é de “passar a limpo” no software de preferência, de modo a extrair a planta baixa do ambiente. Uma boa sugestão que podemos dar é a de criar o desenho gráfico a partir da mesma ordem com que as medidas foram tiradas. 

É que ter processos definidos acelera demais o desenvolvimento das etapas de projeto e torna tudo mais natural para o profissional. Com o tempo, vai ser, cada vez mais,  improvável ele esquecer de verificar algum detalhe do terreno, edificação ou do cômodo, pois já tem automatizado esse processo.

Vale ainda ressaltar que durante um levantamento, o arquiteto ou designer precisa fazer certas análises do ambiente. Quer dizer, entender o que precisa ser alterado ou que pode ser conservado em termos de parede e revestimentos, por exemplo.

Além disso, os profissionais que fazem um levantamento arquitetônico, no geral, ainda precisam vivenciar o espaço, mesmo que por poucas horas. Ocorre que existem certas variáveis importantes de serem analisadas, como: ventilação, incidência de luz solar, etc., que requerem a presença de um olhar profissional. 

Certo é que tudo precisa ser registrado em minúcias. Em razão disso, sempre que possível, é interessante ter o auxílio de outro colaborador nessa etapa, principalmente em se tratando de espaços com maior metragem quadrada. Afinal, existem cantos difíceis de acessar, muitos detalhes para verificar e anotar, objetos para portar, além do fato de que estar, pelo menos, em dupla, facilita bastante esse processo. Se isso não for uma possibilidade para você, não há problema algum. Apenas redobre os cuidados e saiba que, muito provavelmente, o tempo estimado será maior. 

Ressaltamos que as nossas recomendações valem para as modalidades presenciais e online de projeto. A diferença é que à distância, geralmente, é necessário contar com profissionais parceiros que tenham fácil acesso ao local do imóvel. Nesses casos, eles fazem as verificações e anotações e, em seguida, enviam ao arquiteto ou designer responsável pelo projeto.

Checklist levantamento arquitetônico

Sabemos que a organização é fundamental em todas as etapas do projeto e os checklists cumprem muito bem essa função de auxiliar arquitetos e designers. Mas, no que tange ao levantamento arquitetônico, eles são ainda mais necessários.

Como vimos, é preciso anotar todas as informações relativas ao espaço, mas não apenas isso. Fazer um levantamento implica também em agendar com o cliente, deslocar-se para outro endereço, ter gastos de combustível e, quando algum detalhe deixa de ser verificado, o profissional precisa repetir toda essa logística. 

Procure evitar estresses desnecessários, tendo sempre em mãos os itens que precisam ser medidos no espaço e lembre de dar “check” em cada um deles, à medida que fizer as respectivas medições, através do nosso checklist:

✔ O perímetro do ambiente estudado; 

✔ Alvenarias (e suas espessuras); 

✔ Portas e aberturas (comprimento e altura);

✔ Janelas (comprimento, altura e peitoril);

✔ Detalhes estruturais (degraus, pilares, vigas, etc.); 

✔ Gesso e iluminação (quando houver);

✔ Níveis (estabelecendo ponto zero de referência);

✔ Peças sanitárias (e seu distanciamento das paredes); 

✔ Pontos hidráulicos;

✔ Pontos elétricos (interruptores, tomadas, ponto de internet, etc.);

✔ Pontos de gás;

✔ Pé direito;

Exemplos de levantamento arquitetônico

levantamento arquitetônico
Fonte: Atelier da Reforma

Agora que sabemos do que se trata e como fazer um levantamento arquitetônico, vejamos o exemplo acima. Observe que ele se apresenta como um croqui, ou seja, um breve esboço do espaço, construído de modo organizado e legível. 

Perceba que o profissional diferencia cada item medido por cores, conforme recomendamos anteriormente. Quer dizer, toda a parte de mobiliário está em azul, os pontos elétricos estão em verde, e assim por diante. 

No geral, é muito importante ter esses cuidados, que facilitam a leitura e a compreensão do desenho como um todo. Experimente inserir, no mesmo croqui, uma legenda simples, relacionando a cor ao item medido e também inclua o significado de alguma abreviação que, eventualmente, você tenha elaborado. 

Considere que esse documento não só pode ser lido pelo(s) colaborador(es) que não estava(m) presente(s) na hora do levantamento, como também influenciar na fluidez das demais fases do projeto. Logo, exige calma, clareza e organização. 

Como cobrar por um levantamento arquitetônico

Sabemos que diversas variáveis precisam ser consideradas na hora de definir os parâmetros de precificação de qualquer serviço de arquitetura e design. Em termos de levantamento arquitetônico, uma opção é considerar a metragem quadrada do espaço. 

Mas também outras referências, como o nível de complexidade do ambiente, distância em relação ao seu escritório (e custo de deslocamento), nível de detalhamento necessário, grau de definição, tipo de propriedade em questão, entre outros. 

O mais importante é avaliar a situação particular do seu escritório, considerando a sua realidade e momento de vida. Lembre-se que cada projeto é único e que os valores também podem variar em função do escopo e metodologia de trabalho para a qual você foi contratado, portanto, reflita bem sobre o tema antes de precificar os seus serviços. 

De toda forma, esteja certo de ter colhido todas as informações do espaço, pois elas constituem a base de qualquer projeto de arquitetura e interiores. O desempenho dessa etapa interfere diretamente em todas as outras. 


Até a próxima, 

Equipe Vobi


Referências:

www.pinterest.com.br

www.cronoshare.com.br

www.honorario.caubr.gov.br

Continuar lendo

Conteúdos VIP
Faça parte da lista de conteúdos VIP.
Receba semanalmente conteúdos selecionados pela a nossa equipe.
Sem spam!

Seu escritório de arquitetura e design ainda não é digital?