Estudo preliminar de arquitetura
Gestão
May 19, 2021

Estudo preliminar de arquitetura: A etapa mãe dos projetos

Seus processos internos de estudo preliminar de arquitetura estão bem mapeados? Nesse artigo, falaremos a fundo sobre todos os aspectos dessa etapa, que é o primeiro grande passo de uma metodologia de projeto bem estruturada e eficiente. Leia até o final para saber mais! 

Nesse artigo você vai aprender: 

Aproveite a leitura!

O que é um estudo preliminar de arquitetura

O estudo preliminar é a etapa que dá início à elaboração do projeto de arquitetura e de interiores e acontece depois da assinatura do contrato, da reunião de briefing e do levantamento arquitetônico.

Depois que o arquiteto ou designer entende o que o cliente precisa, ele dá início aos estudos iniciais do espaço, aliando criatividade aos seus conhecimentos técnicos. Em outras palavras, ele começa a planejar o ambiente, com seus primeiros traços e insights. 

No estudo preliminar os profissionais não pensam apenas no desenho espacial, mas também na conceitualização desse projeto, quer dizer, na mensagem que pretende transmitir, já visualizando também noções gerais de partido arquitetônico, como paleta de cor, materiais principais, etc. 

Todas as decisões tomadas a partir daqui se baseiam nesse conceito, assim como no programa de necessidades e preferências do cliente. Então, esse é o momento de testar as melhores respostas às demandas do cliente, sobretudo no que tange à funcionalidade do projeto. 

Por isso, é muito comum que para um estudo saiam 3, 5, 7, 10 versões totalmente diferentes entre si para o mesmo espaço, até que o profissional esteja convicto de ter encontrado a melhor opção em questões práticas e funcionais. 

Quando convencido de sua solução, o profissional combina uma reunião de apresentação do estudo preliminar de arquitetura com o cliente, que vai aprovar essa primeira proposta ou solicitar alterações. Sendo de livre escolha do arquiteto restringir ou deixar ilimitado o número de revisões no projeto (mediante previsão em contrato). 

Assuntos como: ergonomia, formas de otimização e preenchimento do espaço, dimensão real dos móveis e eletrodomésticos, e etc., devem ser esgotados desde essa primeira fase, para que a famosa dúvida: "vai caber tudo no espaço?” seja eliminada antes mesmo de deixar rastros nas demais etapas, que, inclusive, só têm início quando o estudo preliminar de arquitetura é 100% aprovado pelo cliente. 

Por envolver processo criativo, esse momento inicial costuma seguir metodologias bem particulares, mas no geral, são feitos direto nos softwares de arquitetura ou por croqui à mão livre, como veremos melhor posteriormente. 

A importância de um Estudo preliminar de arquitetura

Todas as etapas de um projeto de arquitetura e interiores são fundamentais, mas, se pensarmos pela ótica de que sem o esforço inicial não existiria sequer uma ideia bem formulada, podemos afirmar que sim, o estudo preliminar de arquitetura é um dos momentos mais importantes do processo projetual. 

Como dissemos, corresponde à fase de criação do desenho geral do espaço, mas não apenas isso. Nele também definimos o conceito que vai nortear todo o percurso de elaboração do projeto, e é nesse sentido que consideramos nesse artigo o estudo preliminar como a etapa mãe do projeto de arquitetura. 

Em outras palavras:

“Vai determinar os parâmetros básicos para todas as demais disciplinas, logo, ele tem influência em todos os pontos da construção (...). Cada tomada de decisão na fase de elaboração de projetos é relevante e com alto impacto nos custos de todo o negócio. Essas tomadas de decisão são importantes e precisam estar alinhadas com a respectiva etapa do projeto, para que não haja retrabalho ou execução de projetos sem as informações mínimas necessárias à sua execução” - Fonte: Schneider Martins.

Desse modo, resolvemos o escopo do projeto e definimos todos os seus parâmetros básicos, mesmo que de maneira ainda maleável e menos minuciosa, afinal, o material vai sendo lapidado aos poucos, ao longo das demais fases. 

Fato é que ele deriva de um denso estudo do dimensionamento do espaço, características dos usuários, das necessidades que precisam ser supridas e dos sonhos que ele representa. Portanto, o estudo precisa responder a todas essas questões, oferecendo uma solução viável e atrativa, tendo assim uma importância incontestável. 

Como fazer um Estudo preliminar de arquitetura

Os melhores projetos de arquitetura e de interiores têm na sua base uma vasta pesquisa e, por isso, recomendamos que você comece por aí. Levando em consideração o programa de necessidades e intenções do cliente, defina um tempo específico apenas para pesquisar imagens que lhe ajudem a entender melhor o mundo dele.

Vá além e procure também por produtos, soluções arquitetônicas, inspirações de ambientes e até mesmo referências mais abstratas. Ao final, tudo vira um grande repertório e o processo de criação tende a fluir bem melhor. 

Experimente iniciar pela elaboração do conceito do projeto. Quais as sensações desejadas? Os elementos gerais podem se delinear a partir da definição dessa mensagem conceitual e você pode usar como um recurso criativo o moodboard para expressar suas ideias. 

Desse modo, você já idealiza toda a atmosfera do ambiente: paleta de cores, texturas principais e referências, ficando ao seu critério entregar ou não esse material ao cliente, para então, depois, dar início aos croquis. 

Como dissemos anteriormente, o processo criativo é algo muito particular e cada arquiteto e designer acaba descobrindo seu próprio jeito de projetar um estudo preliminar de arquitetura. Contudo, no geral, é feito de uma dessas formas: 1) croqui à mão livre e depois software ou 2) direto no software. 

Muitos estudos neurocientíficos demonstram a importância de iniciar esse processo manualmente, pois o ato de rabiscar/ escrever estimula mais o nosso raciocínio que uma tela de computador, como se vê abaixo:

“O desenho à mão torna mais fácil fazer com que as ideias fluam aos poucos, à medida que o cérebro se concentra e se esforça para criar formas por meio de diretrizes mais flexíveis do que um programa de computador poderia fazer” - Fonte: Grafitti Artes.

Se essa for a sua escolha, imprima a planta (extraída do levantamento ou recebida pela construtora) no sulfite em A3, desenhe no papel manteiga por cima e passe a limpo para o digital depois. 

No entanto, se você é do time 100% digital, siga fundo no método que funciona melhor para você e faça direto no software de arquitetura da sua preferência. Pode até parecer contra intuitivo o que falaremos a seguir, mas, o mais importante aqui é você se permitir errar. Estamos falando de um processo criativo, de testes e experimentos de layout, que precisa caber todas as solicitações do cliente e ainda ser ergonômico, funcional, convidativo, etc. 

São muitas atribuições por trás do desenho de um espaço, assim como são muitas as possibilidades projetuais, por isso, não hesite em fazer várias versões até ficar plenamente convencido de estar com a melhor em mãos. Mas, recomendamos que apenas a escolhida seja apresentada ao cliente na reunião de entrega do estudo preliminar.  

Uma boa sugestão que podemos deixar a você é a de não jogar fora as opções que você descartou, até que toda essa etapa de estudo preliminar seja aprovada. É que o cliente pode pedir alguma alteração que coincida com algo que você já testou e verificou como inviável. Nesses casos, fica mais fácil para ele entender os porquês dessa inviabilidade se ele puder visualizar os testes e análises que você já fez.

Na reunião de apresentação, o cliente pode receber o estudo preliminar de diversas formas e, mais uma vez, fica a critério do profissional definir como prefere realizar essa parte de gestão de projeto. Mas vamos destacar agora as mais usuais: 

 Moodboard de conceito e partido + sugestão de layout humanizado e/ou conceitual

 Moodboard de conceito e partido + projeto em 3D (via de regra, sem renderização)  

✔  Moodboard de conceito e partido + sugestão de layout ilustrado

Também há quem prefira entregar uma apresentação do 3D completo e, até mesmo, renderizado, ao invés de apresentar uma proposta de layout, no estudo preliminar de arquitetura. Arquitetos que seguem esse entendimento defendem que, segundo a experiência deles, as imagens realistas geram um impacto maior nos clientes, de tal modo que reduz o número de pedidos de alteração nos projetos, e, consequentemente, o retrabalho. 

Em contrapartida, aqueles que seguem a nossa linha principal entendem que é melhor resolver primeiro toda a funcionalidade do projeto e demais questões de cunho mais prático da relação espaço e usuário, para então, na etapa posterior, pensar na estética. Nas palavras de Steve Jobs:

“O design não é apenas o que parece e o que se sente. Design é como funciona” - Fonte: Steve Jobs.

Independente da linha que você decida seguir, é importante justificar suas escolhas e registrar tudo que ficar combinado com o cliente, incluindo os eventuais pedidos de alteração do projeto. 

Ao apresentar o seu estudo preliminar de arquitetura, lembre-se de fazer remissão ao que o cliente mencionou no briefing. Apresentar item por item do layout, indo de cômodo a cômodo, como se estivesse dando uma aula sobre aquele projeto, uma vez que a aprovação dessa etapa está diretamente relacionada ao grau de entendimento e convencimento do cliente. 

Checklist Estudo preliminar de arquitetura

Para facilitar a elaboração do seu estudo preliminar de arquitetura, preparamos um roteiro contendo todas as nossas recomendações em formato de checklist para você. Mas fique à vontade para acrescentar novos itens ou subtrair quaisquer deles, pois o importante mesmo é ter um processo que funcione e um modelo de gestão de projetos que combine com você. 

Veja abaixo: 

✔  Pesquisa de inspiração e referências

✔  Moodboard de conceito e partido (imagens conceituais e elementos gerais, como paleta de cores, texturas, mobiliários sugeridos, etc). 

✔  Primeiros esboços de layout feitos manualmente ou no digital → processo criativo

✔  Definição do layout 

✔  Montagem da prancha de layout: conceitual ou humanizado (ou para quem preferir, 3D com ou sem renderização)

✔  Reunião com cliente de apresentação do estudo preliminar

✔ Aprovação do cliente (e encerramento dessa etapa) ou pedido de alteração do cliente (e continuação dos ajustes no layout até que seja 100% aprovado, no limite do que estiver previsto no contrato de vocês)

Exemplos de Estudo preliminar de arquitetura

Agora que já sabemos o que é e como fazer um estudo preliminar de arquitetura, vamos ver como ele funciona segundo um olhar mais prático. Com esse intuito, separamos 3 exemplos para mostrar como você pode desenvolver esse processo no seu escritório. 

Opção 01: Croqui simples no nanquim ou grafite

Estudo preliminar de arquitetura
Fonte: Pinterest

É o método mais utilizado no desenvolvimento dos estudos, sobretudo quando se quer apenas despejar no papel os impulsos criativos e passar para o software posteriormente, visando a elaboração de 3D e concepção de imagens realistas. Simples e eficiente, é um desenho livre, sem grandes exigências, que requer apenas o uso correto do escalímetro, para que não haja divergência de medidas quando digitalizado.

Opção 02: Layout humanizado com moodboard

Estudo preliminar de arquitetura
Fonte: Pinterest

Quanto à apresentação do estudo preliminar de arquitetura, muitos escritórios hoje preferem investir em pranchas mais conceituais ao invés de mostrar ao cliente uma planta baixa técnica, que além do aspecto frio e impessoal, costumam ser difíceis de ser interpretadas pelos clientes, pessoas leigas no assunto. 

Elaborar um layout humanizado costuma facilitar essa compreensão do que está sendo sugerido pelo arquiteto. Além disso, por ser mais agradável aos olhos, esse tipo de representação gera mais desejo de compra e acaba tendo mais poder de convencimento nos clientes. 

Quando aliado ao moodboard, como nesse exemplo que estamos analisando, fica ainda mais simples de entender a proposta e atmosfera do projeto como um todo. Pode ser feito direto no software ou passar primeiro pelo croqui manual. 

Opção 03: Croqui estilo ilustração com marcadores

Estudo preliminar de arquitetura
Fonte: Pinterest

Preferida pelos arquitetos artistas, essa opção já exige conhecimentos mais específicos de representação gráfica e técnicas de desenho. O resultado costuma conectar muito com os clientes e agregar um valor especial ao seu projeto. Caso combine com o seu perfil profissional e pessoal, você pode incluí-lo na entrega do seu estudo preliminar também, pois certamente é um diferencial competitivo.

Como cobrar por um Estudo Preliminar de arquitetura

Por fim, sabemos que o assunto precificação é um dos campeões de dúvidas por aqui e, por conta disso, achamos válido esclarecer algumas, considerando principalmente o nosso tema que é  estudo preliminar de arquitetura.

No geral, a prestação dos serviços arquitetônicos e de design podem ser cobrados de diversas formas e você pode definir aquela que mais faz sentido para a sua realidade, dentre as principais opções elencadas: 

✔ Por m² (caindo em desuso)

✔ Percentual de complexidade

✔ Por hora trabalhada

Entretanto, a nossa maior recomendação é que você tenha especificado um valor em percentual, referente a cada etapa do projeto e que solicite ao cliente o respectivo pagamento a cada conclusão. Para nortear a definição desse percentual, temos uma sugestão para você ter como referência e não como regra, que é a seguinte: 

✔ Estudo preliminar: 30 % 

Anteprojeto de arquitetura  (pré executivo): 20% 

Projeto executivo de arquitetura: 50%

Considere que cada forma de trabalhar é muito única e requer a consideração de muitos pormenores. Em vista disso, é importantíssimo que você avalie a situação específica do seu escritório para encontrar uma precificação justa para ambas as partes, lembrando que, mais uma vez, os percentuais estipulados aqui são meros parâmetros, jamais uma exatidão. 

Sabemos que o estudo preliminar de arquitetura também pode ser feito e entregue de múltiplas formas e nesse artigo você teve um panorama bem completo sobre o tema, que marca o início do planejamento dos espaços interiores e arquitetônicos, sempre muito atrelado à organização dos profissionais. Agora conta para a gente, como andam os processos de estudo preliminar no seu escritório?


Até a próxima, 

Equipe Vobi 


Referências:

www.blog.grafittiartes.com.br

www.archademy.com.br

www.pinterest.com

Continuar lendo

Conteúdos VIP
Faça parte da lista de conteúdos VIP.
Receba semanalmente conteúdos selecionados pela a nossa equipe.
Sem spam!

Seu escritório de arquitetura e design ainda não é digital?