Anteprojeto de arquitetura
Gestão
May 19, 2021

Anteprojeto de arquitetura: A etapa de concepção dos espaços

Até aqui se sabe o conceito e como o espaço vai ser preenchido, mas é só no anteprojeto de arquitetura que tudo ganha definição e descrições mais exatas. Para entender essa etapa tão importante de desenvolvimento projetual, continue a leitura!

Nesse artigo você vai aprender: 

Aproveite a leitura!

O que é um anteprojeto de arquitetura

O anteprojeto de arquitetura é a etapa que vem depois do estudo preliminar 100% aprovado e corresponde ao momento de tomar as decisões mais significativas do projeto. Em síntese, é a segunda etapa de um projeto de arquitetura ou interiores, quando o profissional adentra no desenvolvimento das ideias já iniciadas e tudo ganha mais definição e exatidão.

De grosso modo, se a partir do estudo preliminar ficou definido que certo elemento teria tons de verde e aparência polida, agora no anteprojeto acontecerá a especificação do código, marca, local de compra, e, por vezes, até o preço de mercado estimado desse material. E esse raciocínio se estende a todos os itens inclusos na proposta.

Também é o momento de conceber os desenhos mais técnicos como: plantas, cortes, elevações (vistas), fachadas e perspectivas, e de prestar esclarecimentos aos clientes, no que tange aos pormenores do projeto.

Além disso, ocorre o preparo da modelagem completa e fidedigna do espaço. O arquiteto ou designer pode elaborar essa volumetria em 3D no decorrer do anteprojeto, ou já tê-la feito desde o estudo preliminar de arquitetura, dependendo da metodologia de trabalho adotada. 

Em todo caso, é nessa segunda etapa da proposta que se faz todas as escolhas de especificações de materiais, revestimentos e acabamentos que vão constituir o espaço e também que ocorre a criação de materiais de visualização do projeto, sujeitos à aprovação ao final. 

Ainda nessa etapa, acontece uma estimativa dos custos e prazos aproximados dos respectivos serviços de obra, assim como inclui a elaboração dos documentos para aprovação (projeto legal). 

Conforme a definição do CAU, o anteprojeto de arquitetura é a: 

“Etapa destinada à concepção e à representação das informações técnicas iniciais de detalhamento do projeto e de seus elementos, instalações e componentes, a ser realizada por profissional habilitado” - Fonte: CAU-BR.

A importância de um anteprojeto de arquitetura

Certamente, trata-se de uma fase muito importante para o cliente e é quando ele mais precisa estreitar o seu relacionamento com o arquiteto ou designer. Pois, como já dissemos, eles devem fazer juntos todas as escolhas mais aprofundadas relativas ao espaço, o que inclui as de cunho estético, estritamente pessoais. 

No decorrer do anteprojeto de arquitetura, são feitas visitas em lojas e análise das diversas amostras de materiais como: tecidos, revestimentos, marcenaria, perfis metálicos, vidros e tantos outros que variam conforme o projeto em questão. Dependendo do que estiver previsto no contrato e da modalidade do serviço contratado, o profissional pode estar acompanhado ou não dos seus clientes nesses momentos.  

Em suma, nessa etapa é quando o projeto de arquitetura e interiores toma forma de verdade e nisso está a sua maior relevância. Assim que esmiuçadas as escolhas do projeto, o arquiteto elabora o 3D para que o cliente consiga visualizar em detalhes a composição do espaço como um todo, muito antes dele ser executado. 

Na era digital, essa visualização tem sido transformada, cada vez mais, em uma verdadeira experiência ao cliente. Esse processo pode ocorrer de várias formas: através de imagens realistas, conceituais e até mesmo em formato de vídeos em 360º. Vale ressaltar que cada detalhe criativo é idealizado e planejado aqui e demonstrado em forma de desenhos gráficos precisos, uma vez que o profissional elabora também as pranchas técnicas do espaço. 

Perceba, então, que a maior intenção do anteprojeto de arquitetura é chegar ao ponto de encerrar todo o planejamento do espaço no quesito criação e concepção, pois, depois dele, no projeto executivo de arquitetura, as discussões já gravitam apenas em torno de informações com fins de execução e obra. Em outras palavras:

“Aprovado o projeto esquemático (estudo preliminar), acontece o desenvolvimento de seções, plantas baixas e elevações, com dimensões precisas (...). Detalhes de cores, materiais, localização de portas e janelas, acabamentos, móveis, etc. também são incluídos no design. O projeto final é convertido em 3D e enviado ao cliente para aprovação. Em suma, a fase de desenvolvimento do design (anteprojeto ou pré executivo) planeja tudo para o seu espaço” - Fonte: BluEntCAD | Tradução livre.

Como fazer um anteprojeto de arquitetura

Sabemos que o conceito do espaço é o que guia todo o seu processo de elaboração. Em vista disso, tê-lo sempre em mente na hora de começar a desenvolver um anteprojeto é fundamental. 

Uma vez revisado o layout, comece a traçar os detalhes do espaço, considerando sempre as medidas extraídas na fase de levantamento arquitetônico. Tanto você, quanto o cliente, já sabem como o espaço vai ser preenchido, mas até aqui, não se tem a definição exata dos modelos e características das geometrias que estão preenchendo esse espaço no layout. E esse é o maior desafio (e trunfo) do anteprojeto.

Portanto, utilize os recursos de representação gráfica que estão disponíveis para você e pense em cada ponto do projeto como um complexo isolado, que precisa ter uma imagem clara e minuciosamente especificada. Mais do que isso: ela precisa ter material certo, dimensão precisa, cor, tamanho, numeração, fornecedor, etc., ainda que de forma ainda provisória, afinal está sujeita ainda a ajustes.   

Se for um projeto de interiores, lembre-se de que os detalhes não podem ter apenas beleza, mas, sobretudo, precisam ser funcionais. Pense em como é a rotina do seu cliente, segundo as informações colhidas no briefing e crie algo adequado ao seu estilo de vida. A mesma ponderação precisa ser feita nos projetos arquitetônicos. 

No anteprojeto de arquitetura, você pode elaborar primeiro as vistas (elevações) e depois os cortes, ou, se preferir, partir direto para a elaboração da modelagem completa em 3D e na sequência fazer as pranchas técnicas. 

A verdade é que essa etapa costuma estar muito atrelada ao software que o arquiteto ou designer utiliza no seu escritório. Desse modo, acaba variando muito os processos internos e metodologia de trabalho e tudo depende muito da gestão de projetos adotada. É que alguns softwares exigem que o profissional faça primeiro os arquivos em 2D para depois transformá-los em 3D, assim como existe o inverso, em que do 3D se extrai todas as informações necessárias para o 2D.

Independente da sua escolha, é elementar que você siga com rigor os padrões de linguagem arquitetônica e as normas da ABNT, desde a etapa de anteprojeto. Isso vale para os cortes, elevações, perspectivas, etc. Sendo assim, inclua nos seus desenhos: textos, cotas, simbologias, legendas e carimbo.  

Em seguida, dê início ao preparo do material que será apresentado ao cliente na reunião de apresentação do anteprojeto de arquitetura. Esse conteúdo pode ser feito através de imagem realista, conceitual, vídeo, diagramas arquitetônicos, perspectivas explodidas, fluxogramas, setorização, dentre tantos outros. 

Hoje, existe um universo a ser explorado só no que tange à apresentação de projetos e formas de encantar clientes através delas. Mas, o que é mais relevante nesse assunto, é que o material criado seja de fácil compreensão e demonstre todas as nuances da sua proposta.

Checklist do anteprojeto de arquitetura

Agora que entendemos os conceitos e o modo de elaboração desta etapa, veja abaixo as nossas recomendações gerais sobre o tema. Fizemos em forma de roteiro para que você tenha sempre em mãos quando estiver na fase de anteprojeto de arquitetura

Assim, confira nosso checklist:

✔  Estude o briefing;

✔  Analise o conceito e demais decisões do estudo preliminar;

✔  Considere as medidas extraídas do levantamento; 

✔  Planeje em detalhes como e com o quê cada parte do espaço será preenchida;

✔  Crie a modelagem 3D do projeto;

✔  Crie os desenhos técnicos pertinentes: plantas, cortes, elevações e perspectivas; 

✔  Faça a especificação dos materiais escolhidos;

✔  Se for da sua preferência, faça a renderização das imagens do projeto;

✔ Elabore a apresentação para o cliente com recursos de fácil compreensão, como: perspectivas explodidas, diagramas, setorizações, etc; 

✔ Se for objeto do contrato, estime os custos e prazos; 

✔ No que couber, prepare os documentos visando o Projeto Legal.

Exemplos de anteprojeto de arquitetura

Uma rápida análise da imagem abaixo já é suficiente para perceber que se trata de uma apresentação visualmente agradável. Não que isso seja uma exigência ou um template que deva ser seguido à risca pelo seu escritório - longe disso.

Mas, nos lembra que no anteprojeto de arquitetura, todo o material produzido ainda é destinado ao cliente e não aos profissionais que vão executar a obra e que, desse modo, está sujeito ainda à validação. Em razão disso, recomendamos que você tenha a preocupação de fazer com que seu cliente entenda cada item que está sendo sugerido, mesmo envolvendo desenhos técnicos e especificações. 

Anteprojeto de arquitetura
Fonte: Pinterest

E, nesse sentido, é melhor que a prancha esteja bem ilustrada, setorizada por cores da mesma paleta, e com ótima diagramação, a fim de que, além do fácil entendimento, ocorra um encantamento imediato no cliente também. Veja que todas essas premissas se repetem nesse segundo exemplo:

Anteprojeto de arquitetura
Fonte: Pinterest

Vale ressaltar que fazer um anteprojeto de arquitetura completo, atrativo e de fácil compreensão, não significa, necessariamente, ser um expert em fazer render realista, tampouco é uma obrigação incluir imagens realistas em sua proposta. Mas, sempre que colocar, é importante que elas também sejam aprovadas pelo seu cliente e que correspondam, de fato, com a realidade. 

Falamos isso porque o render é um recurso importante de visualização, convencimento e, até mesmo, de auxílio aos profissionais que vão executar a obra depois, que, muitas vezes, conseguem esclarecer eventuais dúvidas apenas de olhar a imagem. 

Entretanto, sabemos que não é o bastante entender “apenas” de imagens realistas, uma vez que é fundamental desenvolver um raciocínio projetual completo, ou seja, ter as habilidades de criar desenhos técnicos e de especificar materiais adequados para cada proposta. 

Como cobrar por um anteprojeto de arquitetura

Em termos de cobrança pelos serviços de arquitetura e design, sabemos que diversas variáveis precisam ser consideradas na hora de definir os parâmetros de precificação. Mas uma possibilidade que você pode seguir é a de parcelar seus honorários pelas etapas do projeto. 

Para isso, é necessário estipular um valor percentual específico para a fase de  anteprojeto de arquitetura, que pode ser algo em torno de 20% a 35% do valor total da proposta. Claro que esses percentuais são meramente referenciais e você precisa avaliar a situação particular do seu escritório, considerando a sua realidade e momento de vida. 

Lembre-se também que cada projeto é único e que os valores também podem variar em função do escopo e metodologia de trabalho para a qual você foi contratado, portanto, reflita bem sobre o tema antes de precificar os seus serviços. 

Em todo caso, estamos falando de uma fase de desenvolvimento de projetos de arquitetura e ela por si mesma é cheia de variáveis. Pesquisas de mercado e tomadas de decisão ocorrem ao longo de todo processo, pondo à prova, mais uma vez, o poder de aliar conhecimento técnico à criatividade do profissional. Agora conta para a gente, como funciona esse percurso no seu escritório?   


Até a próxima, 

Equipe Vobi 


Referências:

www.caubr.gov.br

www.bluentcad.com

www.pinterest.com

Continuar lendo

Conteúdos VIP
Faça parte da lista de conteúdos VIP.
Receba semanalmente conteúdos selecionados pela a nossa equipe.
Sem spam!

Seu escritório de arquitetura e design ainda não é digital?