Como construir a sua marca pessoal
Marketing
May 19, 2021

Como construir a sua marca pessoal: a melhor maneira de impulsionar sua carreira e seus negócios

É por meio da marca pessoal que se alcança a visibilidade no mercado. Saber reconhecer sua personalidade, valores, paixões, princípios, experiências profissionais e talentos é o ponto inicial para criar uma marca. Enfatizar esses atributos criando um estilo único, capaz de diferenciá-lo da concorrência, é o que alavancará os resultados na vida profissional.

Para criar a sua marca pessoal, definindo seus objetivos, posicionamento, oportunidades de negócios, sua vantagem competitiva, bem como, seu impacto positivo para o mundo, separamos alguns passos que te auxiliarão:

Aproveite a leitura!

01. Defina seu objetivo pessoal 

O primeiro passo para ter uma marca pessoal bem definida é se conhecer, entender quais são as atividades que você mais gosta de fazer e quais habilidades utiliza para realizá-las, assim fica mais fácil definir seus objetivos pessoais. 

Reflita sobre os feedbacks de pontos fortes e de melhorias recebidos durante a vida, pois é importante entender a percepção de como os outros vêem você, para diferenciar daquilo que você imagina ser e, assim, chegar em um comum acordo sobre o que faz sentido nos dois pontos de vista. 

Com isso, você poderá ter a compreensão de como está a sua imagem e quais serão os próximos passos estratégicos para o reposicionamento de marca pessoal. Separe um tempo para responder perguntas, como essas:

  • O que você considera importante?
  • Quais são os marcos significativos os quais você vivenciou?
  • Qual é o impacto positivo que você pode contribuir para o seu mercado de atuação e para o mundo?
  • Como você quer ser reconhecido?

Para começar a gerir estrategicamente sua imagem pessoal, defina objetivos ordenados por prazos. 

Os objetivos de longo prazo são aqueles focados em resultados maiores, os quais irão orientar quais as ações pessoais e profissionais serão tomadas ao longo do tempo. 

Já os objetivos específicos, possuem prazos mais curtos e precisos, além de serem propósitos mais estratégicos, sempre alinhados aos objetivos maiores. 

02. Construa as estratégias de posicionamento

“Tendo os objetivos e as potencialidades bem esclarecidas em um plano de branding pessoal, o foco se volta às ações diárias de rentabilização. Esses movimentos, a curto prazo, servem como uma preparação direcionada ao alcance dos objetivos finais que darão ao profissional o posicionamento estratégico desejado, o qual, com foco estreitado assume sua missão, sua visão e sua imagem através de valores diferenciais.”

Construir um branding pessoal te leva ao entendimento dos seus valores genuínos e os diferenciais que geram autoridade em relação ao seu nome. Por isso, pare e pense: a quem interessa ter informações claras ao meu respeito? Diante dos meus meus objetivos e atributos, a quem posso ajudar?  

Nesse momento, ficará mais fácil definir dois pontos importantes: seu público alvo e a oportunidade de negócio. Identificar comportamentos de consumo e tendências é importante para estabelecer quem você deseja alcançar e quais oportunidades de mercado você pode expandir. 

O Relatório de macrotendências de consumo no pós-Covid 19, elaborado pela PwC, revela que após a pandemia é cada vez mais crescente o número de pessoas que buscam marcas em que confiem e esperam que tenham valores alinhados aos seus.

Analisar os aspectos demográficos e comportamentais das pessoas vai te dar as respostas necessárias para entender o que esperam da sua marca. Procure informações relacionadas à idade, gênero, interesses, renda, valores, entre outros fatores que contribuem para comercializar a sua marca. 

Aplique o processo de benchmarking na sua pesquisa. Em suma, a estratégia refere-se à busca por empresas, pessoas, produtos ou serviços de sucesso, identificando as estratégias sucedidas e até erros cometidos. Foque em pessoas que possuem habilidades semelhantes ou que atuam no mesmo segmento de mercado. Analise a marca, as capacidades e os recursos. Comparando essas características, é possível buscar meios para o seu desenvolvimento pessoal, sendo essa, uma avaliação constante, que sempre trará inspirações para seu modelo de negócio.

Por exemplo, se você deseja ser lembrado por ser um designer eco-responsável, procure avaliar as estratégias utilizadas por empresas como a Herman Miller, o qual foi pioneira em design sustentável de mobiliários para escritórios e residências, alinhando um desenho atemporal a qualidade do produto, evitando que haja descartes ao meio ambiente devido a obsolescência. 

Como construir a sua marca pessoal

A empresa detentora de certificações, como a Cradle to Cradle, BREEAM, Green Tick, European Declare Label, possui processos sustentáveis em toda linha de produção até o destino final de seus produtos: as cadeiras são feitas a partir de plásticos reciclados, os plásticos das embalagens estão cada vez mais sendo reduzidos e substituídos por materiais menos danosos, além das fábricas serem abastecidas com energia renovável.

A partir disso, responda a si mesmo: por que a sua marca existe? Defina a relevância dela e os aspectos que mostrem seu diferencial para o público alvo, alie sua marca com a defesa de uma causa específica, assim, é possível criar um elo emocional. E mais, trará motivação para concretizar seus objetivos. 

“Depois você será capaz de decidir sobre o seu tom de voz, os valores da sua marca, o preço dos seus serviços de design e os métodos de marketing que serão utilizados.”

E por falar em marketing, não deixe de conferir o nosso artigo completo sobre o tema, clicando aqui.

03. Criando sua identidade 

É imprescindível agregar identidade a sua marca, o alvo precisa facilmente visualizar os valores e princípios associados ao seu negócio. A consultora de marketing Julieta Tello e criadora do The Curious Beetle - agência de marketing para empreendedores que buscam desenvolver negócios sustentáveis e com propósito -, sugere criar modelos de resultado tríplice (Triple Bottom Line), ou seja, marcas que unem objetivos ambientais e sociais ao econômico. 

“Os clientes necessitam de provas, mais que valores vazios. O cidadão atual busca coerência. Não basta declarar certos princípios na web ou nas redes sociais, os valores devem ser tangíveis e isso só é possível através de ações concretas.”

A Coach de Negócios ainda recomenda dicas, como analisar os 100 valores universais e escolher aproximadamente 10 deles que mais sejam relevantes para a marca. Esses princípios auxiliam no entendimento do que é prioridade e, consequentemente, guiam as tomadas de decisões importantes ao longo da vida. Alguns exemplos de valores humanos são: abundância, harmonia, credibilidade, agilidade, autocontrole, ambição, benevolência, amizade, amor, respeito, ética, qualidade, caridade, complexidade, coragem, cooperação,  cuidado, empatia, espiritualidade, igualdade, influência, entre outros. 

Ao humanizar a marca, você vai de encontro com uma tendência de mercado. Muitos usuários optam por marcas mais transparentes e próximas ao consumidor. Então, defina a responsabilidade social da marca, bem como, quais serão os métodos de comunicação não invasivos com o público alvo. 

Construir, então, uma identidade visual forte é o ponto chave para o reconhecimento da marca. Com o cenário de grandes oportunidades a partir do mundo web, é preciso estabelecer o Planejamento de Persona no mundo virtual, o qual orientará a criação de conteúdo e marketing digital

Defina o Tom de Voz da marca: de que maneira você irá se vender para o mercado? Quais serão os canais de comunicação. Isso deve ser uma preocupação constante e requer um gerenciamento.

Neste artigo, você confere quais são as melhores redes sociais e como utilizá-las de forma assertiva. Clique aqui para ler!

Desenvolva, então, materiais que representem a sua identidade: logotipos, paletas de cores, tipografia, materiais gráficos, guias de comportamento, entre outros. Essa etapa é muito importante, não  deve ser negligenciada. Tudo precisa estar alinhado!

“Uma identidade visual eficaz marca três itens: é reconhecível e memorável, mostra a personalidade da marca e diferencia o negócio dos concorrentes. [...] Se você não estiver atento à maneira como se apresenta a clientes em potencial, especialmente no mundo do design de interiores, terá dificuldade para atraí-los.”

04. Mostrando-se ao público alvo

86% das pessoas afirmam que a autenticidade é um fator importante na determinação de quais marcas eles optam por apoiar.

Seja autêntico nas plataformas digitais, as pessoas amam sentir a sensação de que estão próximas através das redes sociais. Usar o Facebook, Instagram, LinkedIn e Pinterest para compartilhar as experiências diárias, seus conceitos e valores, bem como, abrir espaço para conversas com os usuários é uma ótima maneira de alcançar os resultados desejados. 

Criando um marketing de relacionamento e de conteúdo, é possível conquistar velhos e novos seguidores, evoluindo assim, para ações de venda de forma orgânica, sem a necessidade de transformar as redes sociais em murais de panfletos com conteúdo estagnado de produtos e serviços. A interação também é capaz de entender quais são as necessidades do consumidor e o que eles esperam que você apresente, e então fica mais fácil elaborar conteúdos de forma atraente. 

Na área de arquitetura e design, os produtos possuem um tempo maior a serem finalizados e os clientes esperam tê-los o mais rápido possível. Mostrar a rotina do escritório de arquitetura, pode ser um aliado na hora de reduzir a ansiedade dos clientes e até educá-los a compreender que o processo criativo e de execução possui um tempo prescrito. A conexão entre o público e a marca gera o reconhecimento de valor agregado. Além disso, torna muito mais fácil que as pessoas interessadas, indiquem seu perfil a outras, ampliando o público-alvo. 

Dica da Vobi: Utilize ferramentas gratuitas que facilitem, no dia a dia, a produção desses conteúdos para suas redes. Procure templates prontos que alinham-se à sua identidade. A ferramenta Canva possui muitos recursos para produzir design excelentes e ainda conta com um planejador de conteúdo para a sua marca. 

Como construir a sua marca pessoal
Foto: Canva

Leia mais sobre: como montar um perfil de arquitetura para mídias sociais e prosperar no marketing digital, clicando aqui. 

Organização de portfólio 

[...] a apresentação consistente de uma marca aumenta a receita em 33%.

Você sabia que o Brasil tem mais de 150 milhões de usuários de Internet e 89% das buscas são sobre produtos e serviços? Então organize seu portfólio. Faça uma análise de quais produtos e serviços você oferece e quais serão oferecidos futuramente. Materialize por meio de fotos e outras documentações, elas serão capazes de construir uma base de negócio e posicionamento de marca.

A Vobi é uma grande oportunidade para sua empresa se conectar com leads valiosos. A plataforma também oferece uma ferramenta incrível de portfólio digital em que é possível criar o seu próprio site em apenas alguns cliques. Trata-se da ferramenta "Meu Site", cujo principal objetivo é a criação de um site completo para arquitetos, contendo uma variedade de recursos poderosos que o ajuda a ser encontrado online por meio de pesquisa. Nossos modelos são otimizados para SEO tornando mais fácil para o seu público ver o trabalho que você faz.

Aproveite também para ler o nosso artigo sobre Site para Arquitetos.

Acompanhe as métricas  

Após aplicar as estratégias para construção da sua marca, é importante acompanhar os dados relativos às ações empregadas, para identificar se estão no caminho esperado. Elas apontam em quais quesitos você está se saindo bem e em quais precisa se reposicionar. 

Nas redes sociais essas métricas podem ser facilmente analisadas, as ferramentas “analytics” demonstram o alcance das publicações e seu engajamento. Bem como, sinalizam quantos usuários estão falando sobre a marca e quantas pessoas são recentes no consumo do seu conteúdo. 

Em relação a administração do seu negócio, identifique quais são os KPIs (Key Performance Indicator, em português Indicadores-Chave de Performance) mais relevantes para serem analisados. Esses dados podem avaliar quesitos como: faturamento, custos fixos, satisfação do cliente e número de novos clientes. Você também pode analisar indicadores de impacto positivo, caso a marca esteja atrelada à sustentabilidade, é possível verificar a quantidade de plástico reciclado, por exemplo. 

Leia mais em: Marketing para arquitetos: como adquirir clientes ativamente para o seu escritório.

Investimento na sua marca 

Antecipe os cenários e planeje financeiramente os seus recursos, você certamente precisará de dinheiro para alcançar a expectativa de crescimento esperada ou para superar alguma dificuldade identificada. 

Por exemplo, se você não possui os conhecimentos necessários para construir um plano de marketing ou ainda não se sente seguro em como se comunicar no ecossistema digital, contrate uma agência especializada em marketing para orientá-lo. Lembre-se: é você quem dita os passos, sua marca é o seu cartão de visitas, então, construa junto com o profissional especializado. 

Por fim, não esqueça de ter em mente, as razões que te mobilizam e o que te diferencia dos demais profissionais. Assim, você pode focar no que realmente importa para impulsionar sua carreira e seus negócios. O gerenciamento de uma marca requer consistência e perseverança, por isso, não perca o foco. 


Até a próxima,

Equipe Vobi


Referências:

www.revistaebs.com.br

www.houzz.com

www.rockcontent.com

www.domestika.org

www.consumidormoderno.com.br

www.atec.com.br

Continuar lendo

Conteúdos VIP
Faça parte da lista de conteúdos VIP.
Receba semanalmente conteúdos selecionados pela a nossa equipe.
Sem spam!

Seu escritório de arquitetura e design ainda não é digital?